Seguidores

20080720

DESTINO DE FÉRIAS - CHAVES




Para os que não gostam de praia e preferem as termas como destino de férias e descanso, vamos outra vez ao norte. E não é que no sul não hajam termas. Da próxima vez, prometo vou ao Algarve e mostro-vos as termas de Monchique.


Mas hoje vou para Trás-os-Montes, até á linda cidade de Chaves. Pertencendo ao distrito de Vila Real, e banhada pelo Tâmega, a cidade possui muitos vestígios de civilizações pré-históricas.


Porém foi na época romana que Chaves conheceu o seu maior desenvolvimento. Os romanos instalaram-se onde hoje é a cidade. Construíram pequenas fortificações nos montes vizinhos, o que lhes davam uma certa segurança, contra os invasores. Construíram a ponte de Trajano, numerosos balneários termais para se aproveitarem das suas águas minero-medicinais. E de tal modo se desenvolveu que foi elevada á categoria de Município no ano 79 por Vespasiano, o primeiro César da Família Flávia. Talvez por isso se chamasse Aquae Flaviae.


No século III as sucessivas invasões, dos Suevos, Visigodos e Alanos, quase destruíram a cidade, com as suas guerras, e a cidade estagnou até ao sec. VIII, altura em que foi invadida pelos árabes. Sucederam-se três séculos de lutas entre árabes e cristãos, tendo a cidade andado de conquista e reconquista ora para os cristãos, ora para os mouros.


Só em 1160, já Portugal existia, foi definitivamente reconquistada aos mouros e passou a fazer parte integrante de Portugal. Pela sua situação fronteiriça Chaves estava sempre em perigo de invasão pelo que o rei D. Dinis mandou erguer o castelo e as muralhas que ainda hoje se observam em algumas partes da cidade.

Zona termal junto ao rio, podendo ver-se ao cimo o castelo.
Na actualidade Chaves tem muito que oferecer ao visitante , além é claro das termas. ( E a propósito, sabia que a água termal de Chaves é a mais quente da Europa?) Desde logo, um belo passeio pelo Tâmega, ou pelas suas margens, ladeadas de árvores frondosas. Para quem gosta de monumentos, uma visita ao Museu, onde pode conhecer toda a história da cidade . A igreja Matriz de estilo românico que data do sec XII, composta no seu interior de três belas naves. A igreja da Misericórdia, logo ao pé da igreja Matriz, com fachada granítica, e interior de uma só nave, construída no sec. XVII, de estilo barroco. Atravessando a ponte romana de Trajano, chegamos á freguesia de Madalena, imponentemente instalada na margem do rio, onde pode observar a igreja da Madalena, (infelizmente estava fechada quando lá estive).
Para os bons garfos, a gastronomia é de uma riqueza ímpar. Além do famoso presunto de Chaves, o salpicão, linguiças e alheiras, temos o cabrito assado ou estufado, o cozido e a feijoada á transmontana, os milhos à romana, as trutas recheadas de presunto, os pastéis de Chaves, e o Folar, que não tem nada a ver com o nosso folar, porque o de Chaves, é recheado de carnes de porco, presunto, salpicão e linguiça.
E pronto: Que tal umas férias em Chaves?

AVISO AOS AMIGOS, vou estar ausente algum tempo, por motivos de saúde. Peço desculpa.
A todos um abraço e obrigada.

6 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga Elvira, boas férias e um bom Domingo... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Carla disse...

Chaves é um destino interessante...embora aquela água quente das termas seja muito pouco saborosa!
Gostei imenso deste post
beijos e boa viagem até ao NOrte

Jorge P.G disse...

Aquae flaviae, minha querida amiga, das mais antigas águas termais do país! Já os romanos as adoravam e eu já fiquei em Chaves, no Hotel com o mesmo nome - "Aquae Flaviae".
Termas, não, são locais muito parados para o meu gosto e obrigam àqueles banhos e tomas de águas a horas certas, demasiada rotina para férias, está a ver?!

Um abraço e tudo de bom para si.

TINTA PERMANENTE disse...

Hajam as chaves capazes e suficientes para dar a volta a tudo quanto impeça um sorriso de confiança...

Abraços e venturas, amiga!

Maria disse...

Já passei férias por lá, há uns tempos. Foi bom recordar nas fotos...

Deixo-te um abraço desejando-te rápidas melhoras

(ficava aqui o resto do dia ouvindo o Manuel Freire...)

Alice Matos disse...

Boa sugestão... Lindo destino...

Recupera bem a tua saúde...

Beijinho para ti...