Seguidores

20080519

CABECEIRAS DE BASTO




O legado deixado pelo passado de Cabeceiras de Basto não é suficiente para se poder atribuir uma data exacta à origem do concelho. Admite-se que o primeiro povoamento de Cabeceiras de Basto remonte a algum período pré-românico, a julgar pelos dólmens e pelos vestígios castrenses. Não obstante a sua antiguidade, a povoação de Cabeceiras de Basto só passaria a concelho em 1510, por foral de D. Manuel I.
O vinho verde, o milho, o azeite, a pecuária e o artesanato constituem os produtos de renome e, simultaneamente, as principais fontes de riqueza do concelho. No que respeita ao artesanato, Cabeceiras de Basto é conhecida, de longe, pela sua cestaria, tanoaria, tamancaria, latoaria e pelos magníficos trabalhos realizados em linho e lã. Cabeceiras de Basto tem uma outra dimensão quando se prova uma das várias especialidades gastronómicas da região, entre as quais é de destacar, a carne de vitela, o bacalhau com batatas a murro, as papas de sarrabulho e os rojões à moda do Minho. O expoente máximo de toda a dinâmica da vila manifesta-se, com um certo regozijo, um pouco por todo o ano, no folclore, nos jogos tradicionais e nas festas, feiras e romarias.
Cabeceiras de Basto encontra-se entre as serras da Cabreira e do Marão, num extenso vale, mesmo à margem do Rio Tâmega. É um dos mais antigos e históricos concelhos do Minho. Uma terra que soube preservar a paisagem na qual convivem o Minho e Trás-os-Montes. Apresenta, por isso, um vasto património paisagístico e arquitectónico, marcado pelas suas gentes e pelos sabores tradicionais. Integrado nas Terras de Basto, pequena sub-região com três julgados: o de Cabeceiras de Basto, o de Celorico de Basto e o de Amarante, actualmente abrange uma área territorial de 239km2 por onde se espalham 17 freguesias com uma população de cerca de 18 mil habitantes. Vários achados arqueológicos (vestígios castrenses e construções dolménicas) permitem dizer que Cabeceiras de Basto remonta a um período anterior a Cristo, nomeadamente a épocas pré-românicas. Em 1514 Cabeceiras é elevado a concelho, por Foral de D. Manuel I. Foi, igualmente, um importante centro de peregrinação na Idade Média. Por este motivo a ele se associaram nomes de santos, nobres e guerreiros como são o caso de Santa Senhorinha de Basto, D. Pedro, D. Inês de Castro, D. Nuno Álvares Pereira, que aqui casou em 1376. O concelho de Cabeceiras de Basto está repleto de monumentos, alguns dos quais, de interesse nacional (como é o caso do Mosteiro de S. Miguel de Refojos e a Ponte de Cavez) e casas solarengas datadas, a maioria delas, dos séculos XVII, XVIII e XIX, que conferem à região um cunho ímpar, apresentando-nos lugares da memória, lugares da nossa identidade.

Texto retirado da net. Fotos minhas, excepto 5 que foram retiradas do portal da câmara municipal.

16 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Elvira, lindo lugar deeste nosso Portugal... Belíssimo texto e fotos... Parabéns pelo trabalho de pesquisa... Beijinhos de carinho... Fernandinha

jose disse...

Tudo
Jo 4:29;
Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito,
porventura não é este o Cristo?

Odele Souza disse...

Lindo e educativo este slide Elvira. Gostei muito.

Um abraço.

lula disse...

Mais um bonito cantinho desta nossa terra.
Beijos

Sandra Fonseca disse...

Através do seu belo post, conhecí um pouco mais de Portugal, país que amo além do normal.
Obrigada.
Um abraço do Brasil!

lua prateada disse...

Sobrevoei nas asas do vento
Parei em teu cantinho
Deixando aqui cair
Todo o meu carinho.

Deixando também a paz
Que de mim emana
E te desejando
Um lindo fim de semana.

Beijinho prateado

SOL

Gentleman disse...

Muy lindo su Pais! y gracias por mantener my blog vivo!
besos.

nile santos disse...

Oi amiga.Lindo lugar.Quem sabe um dia vou conhece-lo.bjtos.nile.

pin gente disse...

muito bonitas as imagens e muito interessante o que aprendi... excelente acompanhamento musical.
beijinho
luísa

Cöllyßry disse...

Mai fiquem a saber de Cabeceiras de Bastos, gosto muito dessa Região...E belissimas as fotos

Doce meu beijo

António Inglês disse...

Elvira

Estive há pouco tempo em Cabeceiras de Baixo, que não conhecia bem e fiquei encantado.
Renovei a vontade de lá voltar depois de me ter ajudado a recordar esta maravilhosa terra.
Um abraço
António

Anónimo disse...

Mais um sítio bonito deste Portugal que conhecemos tão mal.
Bjs

ester disse...

Um sonho!
Bjo querida e uma boa noite!

Whispers in night disse...

Ola!

lindo seu blog sem duvida alguma

Voltarei de ceretza

Portugal eh terra dos meus pais e em certa parte minha terra tambem

beijos e bom fim de semana
Rachel

phrede disse...

Sobre Cabeceiras de Basto:
Em vários site se lê que Nuno Álvars Pereira casou em Cabeceiras de Basto. É falso, Ele casou em Vila Nova da Rainha com Leonor de Alvim que possuia casa em Pedraça, Cabeceiras de Basto, para onde vieram viver após o casamento. Aí passaram os três primeiros anos de casados.

rosario disse...

Olá,os seus trabalhos são lindos,voce pode me indicar o que é mistura de estanho e onde comprar?
O meu email é: rosario.entroncamento@clix.pt
Beijinhos