Seguidores

20080101

UM DIA EM PONTE DA BARCA

Situada na margem esquerda do rio Lima, a 39 quilómetros de Viana do Castelo, Ponte da Barca deve o seu topónimo à barca que, até aos finais do século XV, fazia a travessia do rio na maioria das vezes transportando peregrinos a caminho de Santiago de Compostela. A Ponte substituiu a barca medieval, mas o nome da vila honrou as duas: a primeira pela sua monumentalidade, a segunda pela história.Terra natal dos irmãos poetas Diogo Bernardes e Frei Agostinho da Cruz, a povoação existe desde 1120 e esteve durante toda a Idade Média integrada nos domínios da Terra da Nóbrega. No século XVI, com o reordenamento jurídico e administrativo manuelino, a vila recebe foral e é eleita sede de concelho da Nóbrega. Dois séculos mais tarde, Ponte da Barca era uma vila próspera, de comerciantes e agricultores, que tal como hoje harmonizava a arquitectura popular com a erudita num quadro de granito e palacetes emoldurados pelo verde Minho.
A Ponte
Antigo tribunal

A torre da igreja matriz

Fachada da Igreja matriz
Igreja da Misericórdia

Uma rua estreita.

O edifício da Câmara Municipal


Reparem na beleza das varandas enfeitadas de flores, no edifício da Câmara.
Pelourinho sec. XVI e antigo mercado sec. XVIII
A ponte e o passeio à beira-rio
Toda a beleza do rio e da serra
Continuando à beira-rio
Jardim dos Poetas

Praia Fluvial


Ponte da Barca fica situada no coração do Alto Minho. Deve o seu topónimo à "barca" que fazia a ligação entre as duas margens, e é a "ponte" construída em meados do séc. XV que lhe vai dar o nome de S. João de Ponte da Barca (1450). A nomenclatura Ponte da Barca aparece pela primeira vez nas "inquirições" de 1220, sendo antes conhecida pelo nome de Terra da Nóbrega (ou Anóbrega). Mas já em 1050 se mencionaria um ponto de passagem da "Barca" no cruzamento da via dos peregrinos que, de Braga, demandavam a Santiago ou que, da Ribeira Lima, se dirigiam a Orense, por Lindoso. É vila sede de concelho, com cerca de 1500 habitantes, cujo foral, concedido por D.Manuel, remonta a 1513. A vila está repleta de construções apalaçadas com capelas e muros fronteiros, ameados e brasonados do séc. XVI e XVII, e dos quais destacamos os Paços do Concelho, o pelourinho, o abrigo porticado e a Matriz dedicada a S. João Baptista. Ponte da Barca é, também, um pólo de atracção pela pesca da lampreia, no Rio Lima, pelos coutos de caça, pelos desportos náuticos, pelo artesanato, pelo folclore, e pela gastronomia de requinte, bem como pelo vinho branco da Adega Cooperativa local.

O texto e as três fotos sem data foram retirados da net.

11 comentários:

Anónimo disse...

Bonitas fotos de uma terra encantadora.
Bjs

ester disse...

Adorei as fotos Elvira, que lugar maravilhoso...
Bjo e boa noite!

Jose Gonçalves disse...

Sina a minha, que ainda anteontem de lá vim e já hoje tenho aqui mais fotos do meu "Minho".
Decididamente não me larga.
Obrigado Elvira por ser quem é e me proporcionar estes bocadinhos, em especial acompanhados pelo Boléro....
Um abraço de muita amizade
José Gonçalves

Anónimo disse...

Mais um pedaço de Minho que eu não conheço.
Bjs

Georgia disse...

Elvira, que prazer enorme estar aqui. Amei as fotos, os lugares e a história. Meu pai nasceu em Trás dos Montes, Vila Real. Lugar que eu ainda vou conhecer pessoalmente.

Obrigada pela visita lá na Saia.

Grande beijo em você e já assinei seu o seu guestbook.

O Livreiro disse...

Muito bonito, ainda um dia vou passar por lá.

ps.um bom ano e que tudo corra pelo melhor.

Anónimo disse...

Um sítio onde já passei algumas vezes. Muito bonito

São disse...

Que bom rever o tão belo norte português: agradeço a viagem!
Abraço-a!

Osc@r Luiz disse...

Belas paisagens como sempre, amiga querida.
Em minha viagem que acabo de retornar, como já deve ter lido, eu me hospedei em um hotel/museu Açoriano em Ribeirão da Ilha, em Florianópolis-SC.
Muito interessante.
Depois vou postar sobre ele.
Com todas as características portuguesas, foi inevitável lembrar destas belezas que você costuma postar.
Um beijo, Elvira. Saudades.

Rifo I de Zeuquirne disse...

Unha vila moi fermosa, na que recalamos de casualidade e tanto nos gustou que ficamos nela un par de días.
Gustame moito o teu blog, pasarei máis veces.
un saudiño.

Brancamar disse...

Que bela reportagem de uma das mais bonitas terras do Minho! Perdi-me por aqui a recordar.
Beijinho